Limites dos limites

pai-e-filho

Por Arno Duarte

O último ano foi meu primeiro ano como pai. Tempo em que aprendi, entre outras coisas, que um dos papeis de ser pai é definir limites. E como tem sido duro esse aprendizado…

No início eu quis ser o pai tipo CNV, descolado, moderno, queria fazer diferente, dar liberdade, deixar o guri perceber o que fez, conversar bastante quando algo não ia bem, refletir juntos sobre como deveriam ser as coisas, ouvir a versão dele. Só que a experiência, sempre ela, mostrou que a realidade é bem diferente da teoria.

Eu conversei bastante sim, mas também tive que dizer mais nãos do que eu gostaria, tive que mandar, tive que levantar a voz, tive que ser firme, tive que bater o pé, tive que colocar de castigo, tive que repreender uma, duas, três, várias vezes, olhei com cara de pai brabo (aquela que certamente deixa traumas psicológicos), fiz muita coisa que na expectativa de pai legal eu queria evitar.

Por vezes chorei, achando que eu era um pai pé no saco, que só dizia não pode, não dá, agora não, devagar, espera um pouco, já deu, vamos, acabou, desliga, mastiga de boca fechada, arruma o quarto, não corre, não vai no fundo, volta rápido, limpa isso, hora de dormir, e por aí vai.

Será que esses limites devem ter limites?

A questão é que, como pais, precisamos trabalhar nossa culpa por dar limites. Em verdade nem culpados deveríamos nos sentir, mas já que o sentimento está aí, vamos cuidar dele.

Percebi que por trás daquela vontade de ser o pai legal, também estava o desejo de que meu filho gostasse de mim. Eu queria ser o pai bonzinho, e a cada não que dizia, me frustrava mais um pouco.

Pais foram feitos para serem chatos que de vez em quando são legais.

O limite dos nossos limites está em perceber se nos intervalos entre os “nãos” estamos tendo tempo para pausas com abraço, beijos e brincadeiras.

Uma coisa é certa: nossos filhos não vão gostar da gente por causa dos limites. Vão gostar pelas coisas boas que fizermos juntos, pelo carinho, pelo jogo de taco, pela comemoração de um gol, pela primeira onda que ele surfar, pela emoção de andar de montanha russa, por aquele passeio de bici no parque.

A boa notícia é que momentos de amor não tem limites.

ARNO DUARTE, além de papai adotivo, é coach e consultor organizacional na Favoo Desenvolvimento Humano e mobilizador do movimento Geração Mais Amor. Adora o que faz, mas não deixa de se aventurar em peças de teatro, videoclipes, música, fotografia, meditação ou em qualquer coisa que estimule expressão e criatividade. Acredita que o sentido da vida é amar e se divide entre projetos pessoais e profissionais buscando a felicidade autêntica nas 30 horas do seu dia.

Anúncios

3 comentários em “Limites dos limites

  1. Arno, gratidão pelo seu artigo.
    Me identifiquei bastante contigo porque também sou coach e pai adotivo recente, 7 meses, e eu e minha esposa temos vivido esse dilema entre os limites e o cool…
    Eu acreditava que estava bem preparado pros desafios que enfrentaria e que 1 ano de participação em grupos de apoio à adoção e a leitura de alguns artigos seriam suficiente… mas hoje vejo que o ideal e o real são bem distantes…
    Oque você pensa sobre o numero de devoluções de crianças que só aumenta?
    Abraços

    Curtido por 1 pessoa

    • Oi Edu, tudo bem? Levei uns dias pra responder por um momento turbulento que passei em julho. Gostei do teu questionamento e aproveitei para responder em forma de um novo artigo, publiquei no link abaixo. Resumindo, acho que os desafios não são apenas da adoção, mas da paternidade/maternidade de forma geral. Se quiser falar mais, meus dados de contato estão na área de contatos do site. Abraço!

      ARTIGO: Não aceitamos devoluções
      https://arnoduarte.com.br/2017/08/01/nao-aceitamos-devolucoes/

      Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s